A Expressão Transmontana em Trusses.

As Avós Transmontanas

AVOS TRANSMONTANAS

Hoje esteve um belo dia para ficar à janela a mirar os vizinhos e começar a preparar a costura das meias para o natal. Esteve, portanto, um belo dia para ser aquela pessoa que diz à neta, depois de ela ter começado o ginásio “estás mais bonitinha, estás mais gordinha” – um belo dia para ser uma avó transmontana.

As avós transmontanas não dispensam ter meia dúzia de pitas, mesmo que andem no meio da estrada, para ter com quem reclamar logo pela manhã porque “desgraçadas, comem os ovos quem põem”.
As avós gostam da pinga. Claro que gostam, especialmente a meio da tarde, encostadas ao lagar. Algumas começam logo de manhã, porque uma pessoa acorda com sede e precisa de hidratação.
A cozinha das avós cheira a estrugido (refogado) a partir das dez da manhã, que é quando começa o programa do Goucha.

Fazem sopa de calondro e há sempre uma bacia de favas para pilar à porta. E têm sempre aquela gaveta lá em casa onde guardam a lata com aquelas bolachas de manteiga.

Às vezes essa lata aparece à solta em casa e quando abrimos bate aquela desilusão de estar a ser usada para guardar o feijão.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Playlist no Spotify

Ouve agora

Luísa Apancada
Avisos

Blog que acredita no COVID19

Para tua segurança e dos outros, por favor, usa máscara, camarada.